Lara's dreaming

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Portugal

Sou uma mulher transexual de Lisboa, Portugal, onde nasci e cresci. Neste espaço poderá encontrar pensamentos, reflexões e comentários inerentes à minha vida como mulher trans. Seja benvind@ ao meu cantinho.

domingo, novembro 20, 2011

TDOR 2011



Comemora-se dia 20 de Novembro o 13º International Transgender Day of Remembrance, um dia dedicado a todos aqueles que faleceram violentamente devido a crimes de ódio. De acordo com estimativas, foram mais de 221 as mortes de pessoas transexuais/transgénero desde o mesmo dia do ano passado, de acordo com o projecto Transrespect versus Transphobia (http://www.transrespect-transphobia.org). Uma média que já ultrapassa a do ano passado que era de uma morte dia sim, dia não.

Um preocupante aumento de violência mortal nota-se nos últimos 3 anos: 162 casos em 2009, 179 em 2010 e 223 em 2011. Estes números referem-se somente a casos noticiados, não reflectindo a totalidade mundial.

O TDOR iniciou-se em 1998. No dia 28 de Novembro desse ano, Rita Hester era selvaticamente esfaqueada mortalmente. Rita era uma nulher transexual estimada por todos quantos a conheciam. A sua morte despoletou o site online Remembering our dead (http://www.gender.org/remember/index.html#) no qual se tenta eternizar a memória das vítimas.

Uma vigília foi feita em sua memória, e foi essa vigília que deu origem ao Transgender day of Remembrance, que num ápice se tornou no International Transgender Day Of Remembrance, usualmente conhecido como TDOR.

Em Portugal mais um ano se passou sem conhecimento de nenhum caso de violência mortal contra nós. No entanto, e como está escrito (e muito bem) no site Remembering our dead “Aqueles que não conseguem lembrar o passado, estão condenados a repeti-lo.”, por isso nunca é demais relembrar-se a Gisberta e a Luna, duas vítimas da violência contra pessoas transexuais/transgénero. Que a sua memória não seja esquecida pelo menos pela nossa (quase inexistente) comunidade, já que pelos grupos e associações nacionais já parecem estar perdidas nas brumas das memórias que o tempo esqueceu.

Convém sempre lembrar que a violência contra as pessoas trans não se limita à parte física. Quantas vezes a violência verbal perpretada pela comunidade e mesmo no seio familiar não é um factor determinante para tentativas de suicídio? Isto também é violência contra as pessoas trans.

O facto de, em muitos países, não facultarem, por exemplo, a colocação de próteses no corpo provoca o uso de injecções de silicone industrial que não poucas vezes provoca infecções graves e mesmo a morte. Isto também é violência contra as pessoas trans.

O facto de, em muitos países, não autorizarem ou obstruírem ao máximo (caso de Portugal) determinadas cirurgias desejadas pelas pessoas trans provoca muitas vezes que essas pessoas tentem, por exemplo, remover os testículos em casa de forma artesanal (no caso das trans femininas) pode provocar infecções graves e eventualmente a morte. Isto também é violência contra as pessoas trans.

O facto de, em muitos países, não aceitarem o género com que essa pessoa se identifica, ou complicarem ao máximo a obtenção desse reconhecimento (caso de Portugal) pode provocar depressões graves e eventualmente suicídios. Isto também é violência contra as pessoas trans.

O facto de, em muitos países, não reconhecerem legalmente o género assumido por uma pessoa trans ou complicarem ao máximo esse reconhecimento sujeita-a à discriminação laboral, empurrando-a para o trabalho sexual, onde se presta a ser mais uma vítima de violência que não poucas vezes acaba em morte. Isto também é violência contra as pessoas trans.

O facto de, em muitos países, não reconhecerem legalmente o género assumido por uma pessoa trans ou complicarem ao máximo esse reconhecimento, impede que essa pessoa possa viver uma vida digna, forçando-a a viver em barracos onde se pode, por exemplo, morrer de frio num inverno. Isto também é violência contra as pessoas trans.

Não possuindo os dados referentes a todas as mortes que ocorreram desde o último TDOR, o que se pôde conseguir, para que pelo menos se guarde um minuto de silêncio em memória, é descrito de seguida:

As fotos que acompanham este comunicado foram propositadamente introduzidas para que se obtenha consciência real do que acontece. É substancialmente diferente ver-se do que somente ler-se. E o aumento da violência pressupõe a necessidade de uma denúncia mais forte e do não encobrimento por causa da sensibilidade de algumas pessoas. As pessoas podem ficar com a sensibilidade magoada, mas as pessoas trans fotografadas perderam a vida de modos demasiado cruéis e sádicos para que sejam censuradas.

México, Novembro de 2010, uma trans não identificada é abatida na zona de Chihuahua.
México, Novembro de 2010, uma trans não identificada é abatida na zona de Chihuahua. É a segunda em dois dias.
México, Novembro de 2010, Fabiola, 22 anos, mulher transgénero, é abatida a tiro no bar El Chicote em Chihuahua com 9 tiros na cabeça. A terceira em três dias.
India, Novembro de 2010, Asha Ansar (Gopiamma), mulher trans de 67 anos, é estrangulada em casa por quatro desconhecidos. Era a presidente do All India Hijra Community.
Paquistão, Novembro de 2010, Amir, mulher transexual é morta pela polícia.
Honduras, Novembro de 2010, Idania Roberta Sevilla Raudales, “Robertina”, de 58 anos, mulher transexual esteticista, é degolada, o corpo atado com um cabo de tv.
Brasil, Novembro de 2010, Gretchen de Ogum, mulher transexual de 45 anos, é abatida com dois tiros na cabeça dentro do seu carro por dois indivíduos de mota.
India, Dezembro de 2010, Kirat Pat, mulher transgénero é encontrada degolada
Jamaica, Dezembro de 2010, uma pessoa transgénero não identificada, de 26 anos, activista dos diritos LGBTTI é esfaqueada mortalmente.
Brasil, Dezembro de 2010, Jarro, mulher transexual é encontrada estrangulada, com as roupas semi-despidas.



India, Dezembro de 2010, Gopal Kinnar, hijra de 50 anos, é degolada a sua cabeça é partida com uma pedra por ladrões em sua casa.
Colombia, Dezembro de 2010, Pamela, muçher transexual, trabalhadora sexual, é abatida com um tiro na cabeça por um homem numa viatura.
Honduras, Dezembro de 2010, Lorenza Hernández, jovem mulher transexual de 23 anos, é violada, apedrejada mortalmente e o seu corpo queimado por elementos de um gangue.
Brazil, Dezembro de 2010, Mirelinha, mulher transexual é assassinada a tiro num café onde se encontrava com 4 amigas. 3 sobreviveram.
Brazil, Dezembro de 2010, Duda Top, mulher transexual é assassinada a tiro num café onde se encontrava com 4 amigas. 3 sobreviveram.
Bangladesh, Dezembro de 2010, Papia, transgénero ou intersexo de 32 anos, é espancada e atirada do topo de um prédio de seis andares.
Honduras, Dezembro de 2010, Cheo, mulher trans trabalhadora sexual, é encontrada morta por esfaqueamento.
Honduras, Dezembro de 2010, Lady Oscar Martínez Salgado, mulher transgénero de 45 anos é esfaqueada mortalmente inúmeras vezes em sua casa e o seu corpo queimado, supostamente por dois desconhecidos.
Brasil, Dezembro de 2010, Shelley, jovem trans de 22 anos, morre de embolia pulmonar por injecções de silicone dadas por outra trans.
Honduras, Janeiro de 2011, Cheo, jovem mulher transgénero é esfaqueada mortalmente numa rua de Tegucigalpa.
Honduras, Janeiro de 2011, Génesis, mulher trans entre 23 e 27 anos, é estarngulada por desconhecidos.
EUA, Janeiro de 2011, Chrissie Bates, mulher transexual de 45 anos, é esfaqueada mortalmente em casa.
Honduras, Janeiro de 2011, uma jovem mulher transexual não identificada é assassinada com múltiplos tiros.
Venezuela, Janeiro de 2011, Ángela S P García, jovem mulher trans de 18 anos, é assassinada.
Brasil, Janeiro de 2011, Márcia pereira, mulher trans trabalhadora sexual de 30 anos é abatida com um tiro na nuca.
Bolívia, Janeiro de 2011, Mini Fernández, mulher transexual trabalhadora sexual de 30 anos é estrangulada.
Beasil, Janeiro de 2011, Natasha Rosário dos Santos, mulher trans de 26 anos é morta a pedradas na cabeça.
Brasil, Janeiro de 2011, uma mulher trans não identificada é morta a tiros. O rosto ficou desfigurado.
India, Fevereiro de 2011, Sarubai ou Sarita, mulher trans de 40 anos, é encontrada morta dentro de um Wc de uma carruagem de comboio fechada.
Paquistão, fevereiro de 2011, Waseem Masih, mulher transgénero enforca-se com uma corda.
Itália, Fevereiro de 2011, Bea Schiekfer, mulher transexual de nacionalidade alemã, morre de frio na barraca onde era forçada a morar por ser trans.
México, fevereiro de 2011, E. González Gomez, mulher transexual de 25 anos, é abatida com vários tiros na cabeça e nas costas.
Malásia, Fevereiro de 2011, uma mulher trans não identificada, por volta dos 40 anos, foi assassinada supostamente por uma martelada dada por um homem de moto.
México, Fevereiro de 2011, o crpo de uma mulher trans emigrante hondurenha é encontrado num campo de cultivo.
EUA, Fevereiro de 2011, o corpo de Tyra Trent, jovem mulher trans de 25 anos, trabalhadora sexual, é encontrado num edifício abandonado. A morte foi por asfixia, não existem suspeitos nem motivo.
Brasil, Fevereiro de 2011, uma mulher trans não identificada, aparentando 40 anos, foi abatida a tiro por um motociclista.
Ecuador, Fevereiro de 2011, Tayra Evelyn Ormeño, mulher transsexual, activista e trabalhadora sexual é assassinada.
Brasil, Fevereiro de 2011, Aline Oneil de Castro, jovem trans trabalhadora sexual, é estrangulada poucas horas depois de completar 20 anos.
Brasil, Fevereiro de 2011, Priscila Brandão de Aguilar aka Tiffany, jovem mulher trans de 22 anos é assassinada com 9 tiros.
Brasil, Fevereiro de 2011, Valdecir, mulher transexual, é assassinada com tiros na cabeça e no pescoço.



Venezuela, Março de 2011, o corpo de uma jovem mulher trans é encontrado com um ferimento de bala e feridas de faca.
EUA, Março de 2011, Marcal Camero Tye, mulher trans, trabalhadora sexual, é abatida a tiro e o seu corpo arrastado centenas de metros por carro.
Indonesia, Março de 2011, Shakira, mulher transexual, activista, é abatida a tiro por indivíduos numa mota. Duas outras transexuais são atingidas.
Tailândia, Março de 2011, K. Jagrid, jovem mulher transexual de 23 anos suicida-se após descobrir que o seu companheiro tinha dois filhos de anterior relacionamento.
México, Março de 2011, uma jovem mulher transexual é assassinada a tiro juntamente com um homem em Chihuahua.
Colombia, Março de 2011, 'Leidy, la ecuatoriana', mulher trans, trabalhadora sexual, de 36 anos, é assassinada.
Brasil, Abril de 2011, uma mulher trans não identificada é assassinada a tiros.
Brasil, Abril de 2011, uma jovem trans de 24 anos, D. de Olveira é espancada e assassinada com mais de 30 facadas.
Turquia, Abril de 2011, R. B., uma trans de 36 anos é abatida a tiro. Duas outras ficam feridas vindo a morrer no hospital.
Turquia, Abril de 2011, M. K., uma trans de 26 anos é ferida a tiro vindo a morrer num hospital, juntamente com outras duas (uma morreu na rua, outra no hospital).
Turquia, Abril de 2011, Y. E., uma trans de 36 anos é ferida a tiro vindo a morrer num hospital, juntamente com outras duas (uma morreu na rua, outra no hospital).
India, Abril de 2011, Shakila, uma jovem transexual de 25 anos morre por lhe ser negada tratamento hospitalar por suspeita de ter SIDA. Não tinha.
Brasil, Abril de 2011, Bibi, mulher trans e trabalhadora sexual é assassinada com 7 facadas supostamente por um cliente.
México, Abril de 2011, Bárbara Lezama, mulher transexual trabalhadora sexual e activista é assassinada em sua casa. Tentaram estrangulá-la com um cabo mas acabou por morrer de um golpe de um tijolo na cabeça.
Venezuela, Abril de 2011, Samantha ou La Dominicana, mulher transexual de 39 anos, trabalhadora sexual, é esfaqueada mortalmente por um grupo de homens, juntamente com Kimberly Rubí.
Venezuela, Abril de 2011, Kimberly Rubí, mulher transexual de 17 anos, trabalhadora sexual, é esfaqueada mortalmente por um grupo de homens, juntamente com La Dominicana.
Venezuela, Maio de 2011, Luisa Bravo, mulher transexual de 18 anos, trabalhadora sexual, é esfaqueada mortalmente por um homem.
Brasil, Maio de 2011, Camile C. dos Anjos, mulher trans de 23 anos, trabalhadora sexual, é assassinada com 7 tiros supostamente por não ter troco para devolver.
Brasil, Maio de 2011, uma mulher transgénero não identificada, sem-abrigo, é espancada até a morte.
República Dominicana, Maio de 2011, Naomi Carmona Adames, mulher transexual de 27 anos, trabalhadora sexual, é encontrada numa poça de sangue em sua casa.



Brasil, Maio de 2011, A.O.C. da Cruz, mulher trans de 20 anos, é estrangulada e o corpo arrastado dezenas de metros.
Colombia, Junho de 2011, Gina Capello, mulher trans de 44 anos, morre após 4 dias de sofrimento por ter injectado silicone nas nádegas.
Porto Rico/EUA, Junho de 2011, Karlota Gómez. Peña, jovem trans de 19 anos, é abatida a tiros vindos de um carro em andamento.
México, Junho de 2011, Josimar Matilde Pineda, jovem trans de 19 anos, é assassinada com um golpe na cabeça entre outros.
Brasil, Junho de 2011, Maria do Bairro, mulher trans, trabalhadora sexual, é assassinada a pauladas e pedradas na cabeça.



EUA, Junho de 2011, N E Davis, mulher trans de 44 anos, trabalhadora sexual é abatida com um tiro na cabeça.
Colômbia, Junho de 2011, uma mulher trans não identificada teve a sua cabeça destroçada a pedradas ao resistir a ser violada.



Rússia, Junho de 2011, o corpo de uma jovem mulher trans é encontrado mos caminhos de ferro de Kazan em Moscovo. Apresentava dois ou três golpes na cabeça e a garganta cortada.
México, Julho de 2011, num ataque supostamente perpretado por narco-traficantes armados com metrelhadoras AK 47 contra um grupo de trabalhadoras sexuais, foi abatida uma jovem mulher trans, La Thalía, pelos 24 anos de idade.



Afeganistão, Julho de 2011, Zabi, mulher transexual, é assassinada, desmembrada e os seus restos enviados à família, depois de como é costume localmente, ter dançado num casamento em Kabul. Os agressores foram descritos como pertencendo à etnia Pastún.
Honduras, Julho de 2011, o corpo de uma mulher trans, não identificada, é encontrado num terreno baldio com uma ferida de arma de fogo no lado esquerdo da cabeça.
Chile, Julho de 2011, Cinthia González Rodríguez de 46 anos, trabalhadora sexual, é assassinada e roubada por um cliente, ex-futebolista.
EUA, Julho de 2011, Lashay Mclean, mulher trans de 23 anos é abatida a tiro por dois homens.
Venezuela, Julho de 2011, Samantha Nazareth, de 23 anos, é assassinada com 6 tiros.
Honduras, Julho de 2011, Nela E. Ramirez, mulher trans de 25 anos, da associação “Crisálidas-Trans Palada”, é assassinada com um tiro na cabeça ao regressar a casa de uma festa.
EUA, Julho de 2011, Dee, mulher trans de 47 anos, trabalhadora sexual, morre num incêndio no atrelado onde vivia.
Turquia, Julho de 2011, Didem, mulher trans, trabalhadora sexual, foi assassinada no distrito de Findikzade em Istambul com a garganta cortada por um cliente do facebook que supostamente ignorava que era trans.
Malásia, Julho de 2011, Aleesha Farhana, mulher transexual operada de 25 anos, morre num hospital depois de ter dado entrada com um severo ataque de ansiedade por lhe ter sido negada em tribunal a ateração de nome e género.
EUA, Agosto de 2011, Camila Guzman, mulher trans, trabalhadora sexual, 36 anos, é esfaqueada mortalmente em casa.
Brasil, Agosto de 2011, o corpo de Maria do Bairro, mulher trans, é encontrado com sinais de pancadas pelo corpo.
México. Agosto de 2011, uma mulher trans não identificada é assassinada, a face desfigurada com um solvente, o corpo enfiado numa mala, regada com gasolina e incendiada.
Colombia, Agosto de 2011, Yelkin Nikley Jiménez, de 25 anos, trans, é abatida a tiro juntamente com Jonathan Chinchía Manga de 22 anos.
Paquistão, Agosto de 2011, Wajahat, mulher trans de 21 anos é abatida a tiro juntamente com o seu companheiro, Kamran, de 28 anos por quererem casar.
Guatemala, Agosto de 2011, o corpo de uma mulher trans não identificada, por volta dos trinta anos, é encontrado esfaqueado e com sinais de estrangulamento.
Brasil, Agosto de 2011, o corpo de uma mulher trans não identificada é encontrado meio queimado num campo de futebol da região de Belo Horizonte. Foi amarrada na sua cama com atacadores torturada durante 3 horas com facadas, marretadas e o corpo queimado com óleo a ferver. Depois a arrastaram até um campo de futebol da região, aonde atearam fogo na vítima ainda viva.
Brasil, Agosto de 2011, R. da Silva, de 21 anos, Mister Piauí 2011 e sexto no Mister Brasil é abatido a tiro na casa de um homem, também abatido.
México, Setembro de 2011, "La China", jovem mulher trans de 20 anos, trabalhadora sexual, é espancada mortalmente possivelmente por um cliente e atirada a um lago.



Brasil, Setembro de 2011, uma mulher trans não identificada é assassinada num motel pelo homem que a acompanhava.
Colombia, Setembro de 2011, María Camila Parra "Ninia", mulher trans de 30 anos, récem-chegada de Roma, é assassinada dentro do seu carro com seis tiros. Nada foi roubado.
EUA, Setembro de 2011, uma mulher trans identificada como G. Gopalan, de 35 anos, é encontrada morta com ferimentos que incluem um trauma na face.
EUA, Setembro de 2011, Akeem Laurel, de 27 anos, mulher trans é abatida a tiro.
Cuba, Setembro de 2011, N L Garcia, mulher transexual de 34 anos, morre quando estava detida pela polícia numa das habituais rusgas anti-gays,les,trans por a polícia ter ignorado propositadamente que era hipertensa. Não foi realizada autopsia.



México, Setembro de 2011, o corpo de Brigitte, mulher transexual trabalhadora sexual, é deixado junto com outros 35 corpos na Plaza Las Américas, em Veracruz.
Brasil, Setembro de 2011, uma mulher trans não identificada, por volta dos 30 anos, é encontrada morta, as mãos amarradas, degolada e com uma paulada na cabeça.



Brasil, Setembro de 2011, uma mulher trans ainda não identificada é abatida a tiros numa paragem de autocarro no Rio de Janeiro.
EUA, Setembro de 2011, Lucie Parkin, de 36 anos, mulher trans é abatida com um tiro num quarto de motel em Hesperian Boulevard, San Jose.
Mauricias, Setembro de 2011, Shamir Mussan, mulher trans de 32 anos é espancada e esfaqueada mortalmente na barriga por um grupo de dez pessoas que a atacaram em casa.
Paquistão, Setembro de 2011, Faislur Rehman, jovem trans que se tinha submetida a uma cirurgia de correcção de sexo há 3 anos morre com fortes dores abdominais.
Turquia, Setembro de 2011, uma mulher trans ainda não identificada foi esfaqueada mortalmente em sua casa em Istambul.
Brasil, Setembro de 2011, uma mulher trans não identificada, trabalhadora sexual, é assassinada com pancadas na cabeça numa praia de Recife.
Venezuela, Outubro de 2011, o corpo de uma mulher trans é encontrado com 5 facadas no peito e cortes nas mãos, braços e joelhos.
Turquia, Outubro de 2011, uma mulher trans é abatida a tiro num hospital pelo seu irmão que assim lavou a honra da família.
Honduras, Outubro de 2011, Tierrita, mulher trans trabalhadora sexua de 25 anosl, é encontrada agonizante por esfaqueamento por outras trans e morre no hospital.
Perú, Outubro de 2011, o corpo de uma jovem mulher trans é encontrado carbonizado em Lima com visíveis sinais de tortura e esfaqueamento.
Brasil, Outubro de 2011, H.P.Menezes, mulher trans de 28 anos, é assassinada a pauladas e o corpo ficou com partes queimadas por tentarem atear fogo.



Brasil, Outubro de 2011, Joana Farias, mulher trans de 41 anos, é abatida com cinco tiros na cabeça supostamente por desentendimentos sobre locais de engate.
Colombia, Outubro de 2011, Melissa ou Roberta, mulher trans indigente, por volta dos 40 anos, alcoólica, toxicodependente, é encontrada morta. Encontrava-se doente há dias.
Brasil, Outubro de 2011, Sandy, uma mulher trans trabalhadora sexual, entre os 25 e 30 anos, é assassinada com seis tiros por uma pessoa numa moto.
Brasil, Outubro de 2011, Renata Desireè, mulher trans de 18 anos, é encontrada morta com vários tiros na nuca.
Brasil, Outubro de 2011, Arimatéia da Silva, mulher trans de 27 anos, trabalhadora sexual, é assassinada a tiros.
México, Outubro de 2011, Vargas Bringas de 26 anos, mulher trans é esfaqueada mortalmente.
EUA, Outubro de 2011, Rashaun Bernard Howard, mulher trans de 26 anos, é abatida a tiro.
Brasil, Outubro de 2011, uma mulher trans não identificada é apedrejada mortalmente junto com uma amiga.
Brasil, Outubro de 2011, uma mulher trans não identificada é apedrejada mortalmente junto com uma amiga.
Venezuela, Outubro de 2011, Cristian Yoneiker Torres Escuraima, de 19 anos, mulher trans trabalhadora sexual, é crivada de balas por um grupo de desconhecidos.
Brasil, Outubro de 2011, Malu Moraes, mulher trans de 34 anos, trabalhadora sexual, é esfaqueada por um indivíduo e falece posteriormente num hospital.
Espanha, Outubro de 2011, Astrid Carolina López Ceice, mulher trans de 30 anos de origem colombiana, é esfaqueada mortalmente por um homem com quem mantinha contacto ocasional e o seu corpo enterrado no jardim durante 20 dias.
EUA, Outubro de 2011, Shelley "Treasure" Hilliard, jovem mulher trans de 19 anos desaparece no dia 23. Mais tarde no mesmo dia o seu torso queimado é descoberto. Só foi identificada em Novembro.
Itália, Outubro de 2011, o cadáver de uma mulher trans não identificada aparentando ter entre 20 e 30 anos, é encontrado num terreno frequentado por trabalhadoras sexuais.
Brasil, Novembro de 2011, Luana, mulher trans de 18 anos, trabalhadora sexual, é assassinada com um tiro na cabeça quando ia para casa com uma amiga.



República Dominicana, Novembro de 2011, o corpo de uma mulher trans não identificada é encontrado afogado numa lagoa com os pés e mãos atados.
Venezuela, Novembro de 2011, Y M A Zambrano, homem trans de 40 anos é abatido a tiro por dois homens numa mota.
Perú, Novembro 2011, Patty Ruiz Saldaña, mulher trans, sai de uma discoteca com um desconhecido. O seu corpo é encontrado posteriormente esfaqueado e degolado.
França, Novembro de 2011, uma mulher transexual de 27 anos de nacionalidade israelita, em coma desde 20 de Outubro por ter sofrido de infiltrações de uma injecção de silicone nas nádegas, falece no hospital.
Colombia, Novembro 2011, uma jovem trans de 20 anos é assassinada com um golpe com um pau na cabeça por um grupo de homens.
EUA, Novembro de 2011, Cassidy Vickers, de 32 anos, é abatida com um tiro no peito.

É para denunciar estes casos que o TDOR existe.

É para homenagear estas mortes que o TDOR existe.

É para que estes casos não caiam no esquecimento que o TDOR existe.

É para tentar unir as pessoas trans que o TDOR existe.

É para que casos destes não se repitam que o TDOR existe.


Lamentemos e homenageemos estas pessoas com um minuto de silêncio.