Lara's dreaming

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Portugal

Sou uma mulher transexual de Lisboa, Portugal, onde nasci e cresci. Neste espaço poderá encontrar pensamentos, reflexões e comentários inerentes à minha vida como mulher trans. Seja benvind@ ao meu cantinho.

segunda-feira, setembro 25, 2006

That's me...

Não voltarei realmente tão cedo aqui ao meu cantinho. Sendo assim, deixo-vos com um vídeo que reflecte em muito aquilo que eu sou, e ainda por cima é de uma banda que muito admiro e que tive a sorte de ver ao vivo na Expo'98.


Aqui ficam os Garbage com "I Think I'm Paranoid".


Beijinhos e inté. Lara.


quarta-feira, setembro 13, 2006

Até breve... Assim espero


Meus e minhas querid@s leitor@s, infelizmente (pelo menos para mim!), não vou poder postar durante algum tempo. Devido a esse motivo, deixo-vos um pequeno-grande presente. Aliás, dois: o vídeo dedicado a Dil no post mesmo abaixo, e este aqui, para limparem a alma e espairecerem os olhos e ouvidos, pela beleza do mesmo em todos os aspectos. Um dos meus all time favorites.

Obrigada por aqui virem. Do fundo do coração.
Mil beijinhos da vossa Lara.

Sade - "Cherish The Day"

Amar... Amor... Descobrir...


A vida é algo de muito sui generis. Prega-nos partidas a cada hora, a cada minuto, a cada segundo. Aquilo que é num momento, pode já não o ser no momento seguinte. E eu tenho sido deveras surpreendida por tantos acontecimentos, que acabo por me sentir como Dil (personagem interpretada magistralmente por Jaye Davidson no filme "The Crying Game" de 1992), em diversas situações.
Penso que talvez como qualquer mulher transexual se sentirá quando terminou o seu processo clínico e começa a tirar as suas próprias e últimas conclusões, depois de longos anos de todo o tipo de avaliações (no meu caso foram praticamente seis...).
Dil marcou-me muito. A força que Jaye Davidson imprimiu à personagem fez-me questionar tanta coisa naquela altura (e agora!), ao mesmo tempo que me dava outras tantas certezas. Vi o filme numa escura e very cosy sala de cinema, e fui descobrindo o filme e as personagens, ao mesmo tempo que me descobria também a mim própria.
E, tal como Dil, eu procuro o amor. Mas não rastejo por ele. Não me humilho por ele. Não me vendo por ele. Precisamente porque ele é a essência de todos os sentimentos e não se consegue atingi-lo se não for puro. Se não estivermos e formos puras. Se não estivermos bem connosco próprias.
Não diria que estou bem comigo. Ainda não. Mas sei que vou a caminho. E sei que o amor estará algures à minha espera no caminho. Como estava no de Dil. Esta é a minha homenagem a todas as mulheres transexuais que têm coragem de amar perdidamente, tal como Dil. Esta é a minha homenagem a Jaye Davidson, que sim, merecia sem sombra de dúvidas o Óscar para que foi nomeado.


Kisses. Lara.


The Trying Game
A Dil Obsession Viddy by lennier07

quarta-feira, setembro 06, 2006

Timidez

Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve...

— mas só esse eu não farei.

Uma palavra caída
das montanhas dos instantes
desmancha todos os mares
e une as terras mais distantes...

— palavra que não direi.

Para que tu me adivinhes,
entre os ventos taciturnos,
apago meus pensamentos,
ponho vestidos noturnos,

— que amargamente inventei.

E, enquanto não me descobres,
os mundos vão navegando
nos ares certos do tempo,
até não se sabe quando...

— e um dia me acabarei.


Poema de Cecília Meireles; vídeo "I Want You" de Madonna com os Massive Attack.

segunda-feira, setembro 04, 2006

Repensar e dar uma nova hipótese...


Pois é, a nossa vida é cheia de surpresas. Em menos de uma semana tive que arrancar um "lindo dentinho molar" que só me dava problemas, e comecei um namoro (??? - dirão vocês) com um homem bastante especial.
Alguém que me tem dado, desde que o conheço, algo que nunca nenhum me deu. Carinho, compreensão, respeito, aceitação, amizade. Talvez seja o que eu procurei a vida inteira. Mas quanto a isso, só o tempo o dirá.
Resumindo, a sra. celibatária empedernida deixou de o ser, porque pensou melhor e chegou à conclusão de que valores mais altos se levantam nas nossas (tão curtas) vidas e deu uma chance ao amor.

Bem a propósito da mutabilidade dos nossos pensamentos e flutuamento dos nossos sentimentos, aqui vos deixo uma canção que já postei, mas que tem tudo a ver com esta situação.

Uma boa semana e beijokas da Lara.

The Cardigans - "Erase and Rewind"