Lara's dreaming

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Portugal

Sou uma mulher transexual de Lisboa, Portugal, onde nasci e cresci. Neste espaço poderá encontrar pensamentos, reflexões e comentários inerentes à minha vida como mulher trans. Seja benvind@ ao meu cantinho.

quinta-feira, abril 23, 2009

Angie Zapata: in memoriam

Texto de Eduarda Santos para PortugalGay.pt

A 17 de Julho de 2008, Allen Andrade de 32 anos, atacou e matou Angie Zapata, de 18 anos, no seu apartamento em Greeley, EUA, recorrendo a um extintor portátil com o qual a atingiu na cabeça várias vezes, provocando-lhe a morte, quando descobriu que Angie era uma mulher transexual, portanto não biológica.

Na quarta-feira passada iniciou-se o julgamento, com a selecção dos jurados de entre mais de 300 pessoas. Este julgamento focalizou as atenções sobre os crimes de ódio e sobre a legislação referente a estes casos, de toda a comunidade LGBTT americana, pois é o primeiro julgamento considerado como crime de ódio.

Durante o julgamento muita coisa veio a lume. Que o irmão de Angie sempre a chamava de "Justin". Que Angie e Allen conheceram-se pela net no MocoSpace. Que Allen, depois de assassinar Angie, fugiu no carro da irmã dela, que lho tinha emprestado.

A defesa tentou inculpar Angie, usando o já muito batido argumento de que a decepção por Angie ser de facto um "homem" levou Allen a ter este acto de cabeça perdida. No entanto, e depois de os jurados terem ouvido gravações em que Allen afirmava que “Gay things need to die” (coisas ou cenas gay devem morrer) e também o facto de nessas gravações se referir a Angie não como ela ou ele, mas como "it" (aquilo, aquela coisa), convenceu os jurados de que efectivamente se tratou de um crime de ódio.

E no mesmo dia em que se comemorava mundialmente o Dia da Terra, os jurados foram deliberar (muito rapidamente) e consideraram Allen Andrade culpado de homicídio em primeiro grau. Segundo as leis americanas vigentes neste estado, para este tipo de crime a condenação é de prisão perpétua. Só falta o juiz ditar a sentença.

Neste caso, e ao contrário do que aconteceu aqui em Portugal com o caso Gisberta, foi feita justiça.

Monica Bellucci «ao natural» na capa da Elle


A edição do mês de Abril optou por apresentar Monica Bellucci sem maquilhagem e sem recurso ao photoshop

A edição francesa da revista «Elle» fez uma aposta inovadora. Optou por colocar na capa Monica Bellucci sem maquilhagem, tal e qual como acorda de manhã.

Deste ensaio fotográfico fazem ainda parte nomes como a actriz francesa Sophie Marceau e a modelo Eva Herzigova. Todas foram fotografadas com a cara lavada apenas em água e sabão.

A ideia é mostrar a beleza feminina sem recorrer à maquilhagem ou mesmo ao uso do photoshop.

A escolha da actriz italiana para a capa tem uma explicação: Belluci declarou recentemente que a imagem comunicada através dos anúncios de empresas como a Dior é totalmente falsa. Algo de que discorda totalmente.

Notícia: IOL

sexta-feira, abril 17, 2009

"Biba e na moda"


Em época de mulher fruta, travesti Garota X bomba no RJ com seu funk da Mulher Banana

Fonte: Mix Brasil

Se você achava que as mulheres frutas do funk já tinham esgotado todo o pomar disponível, está muito enganado. É que a produtora e gravadora carioca Furacão 2000 tem uma diva que traz um algo a mais. A travesti conhecida como Garota X vem chamando a atenção de quem assistiu a um dos DVDs da Furacão 2000 apresentando o funk da Mulher Banana. Com um top e sainha amarelos, a Garota X rebola e se insinua tanto quanto as melancias e moranguinhos da vida. Ela não dispensa nem dançarinos fortões para cortejá-la durante a performance.

E o bom é que ela aproveita a letra de seu hit para dar um xoxadinha nas frutas que apareceram antes dela: "Não tem mulher melancia, mulher jaca, ou moranguinho. Sou a mulher banana e sou mais o meu popozinho. Elas são popozudas, são mulheres gostosas, mas os bofes me preferem, sou biba e estou na moda. Quem já viu gostou, quem perdeu, prova e repete. Sou a muher do futuro, vê se deixa de ser tonto. Esquece as popozudas e prova o meu popô de pombo". Demais, não?

Enjoy:

quarta-feira, abril 15, 2009

Travesti Patrícia Araújo inspira funk carioca


A travesti Patrícia Araújo volta a chamar a atenção da mídia. Depois de declarar que está namorando um jogador da seleção, Patrícia torna-se agora musa inspiradora de um funk, Boneca Gostosa, criado pelo produtor Kiko Alves e o MC Thiago Figueira.

A música faz referência a participação de Patrícia no último Fashion Rio, em janeiro, que gerou bastante repercussão. "Ela é gostosa, ela é popozuda / Quando ela chega faz geral ir à loucura / Na passarela Fashion Rio, só deu ela, só deu ela".

"A ideia foi fazer uma homenagem assim como Erasmo Carlos fez há 25 anos quando fez ‘Dá um Close nela’ para a Roberta Close', explica Kiko, que também foi o responsável pelo ensaio que Patrícia fez para a revista Gata da Hora ao lado da modelo Pamela Sanches. A revista já está nas bancas.

"O ensaio está dividido em duas partes: na primeira, as duas aparecem nuas juntas, brincando de jogar baralho, na segunda, elas foram fotografadas separadas. A única coisa que os leitores não vão poder comparar é o órgão sexual da Patrícia que foi escondido com um mini tapa-sexo", conta Kiko.

Notícia: G.Online
Foto: Divulgação/Marcio Madeira

terça-feira, abril 14, 2009

Perder...

Começo por pedir desculpa a todas as pessoas que seguem ou visitam o meu blog, pois ultimamente não tenho postado novidades.

Por um lado porque não há novidades boas, por outro, porque me sentia (e ainda sinto) um pouco bloqueada para escrever sobre o que tenho sentido e passado.

Muito se fala sempre no meio trans sobre o que significamos nós para a nossa família e vice-versa. Há aquelas que foram pura e simplesmente postas fora de casa pelos próprios pais, e há aquelas que, por sorte ou whatever, lá arranjam maneira de dar a volta (o meu caso) ou têm uns pais (ou uma mãe, em geral) muito compreensivos.

Nos últimos tempos, tive medo de perder a minha melhor amiga, Edu, devido a uma grave tromboflebite na perna direita, que a obrigou a ficar internada e em tratamento vários dias. Culpa do tratamento hormonal que nos pode pregar estas partidas, mas essencialmente culpa agravada do endocrinologista dela, que como pessoa supostamente experiente em tratamentos hormonais de subsituição, devia saber que são muito agressivos e perigosos, principalmente quanto mais avançada é a idade. Ela agora já está em casa, tratada e a recuperar. Mas o susto foi muito grande e chorei muito com medo de algo mais grave.

12 de Abril, Domingo de Páscoa, e o dia em que a minha sobrinha cumpriu 10 anitos.
Falei com a minha mãe para saber como se ia festejar a data, o que ela ainda não sabia, visto mal ter falado com o meu irmão (isto porque a minha cunhada foi nesse dia para o Brasil, em trabalho). Combinei com ela que me ligaria no próprio dia para me dizer como se iam passar as coisas.
Acordo tarde no Domingo. A minha mãe não tinha ligado. Reparo que tenho uma sms no telemóvel. Era do meu irmão. Dizia apenas que a minha mãe lhe tinha dito que eu queria lá ir (a casa) e que não era boa ideia. Caiu-me tudo, mas finalmente ele tomou uma atitude que eu há muito esperava dele: mostrou como é preconceituoso, como me odeia pelo que sou, que tem vergonha de mim, e que acha que tem o direito de me rebaixar em frente aos outros, como se não fôssemos irmãos e não tivéssemos sequer sido criados juntos.
Como se não bastasse, de certeza que a minha sobrinha ficou a pensar que eu é que não quis aparecer nos anos dela, para lhe dar um grande beijo, a abraçar, e lhe dar um presente digno dos seus 10 anos.

E ontem tive a certeza que a perdi. Fui a casa dos meus pais e ela jantou lá. Ignorou a minha presença completamente, como se eu não existisse sequer. Conseguiram o que queriam. Tanto a envenenaram que ela agora reage a mim sem reacção. Uma espécie de ódio silencioso. Mas não, não me descarto aqui da minha própria culpa pelo meu afastamento dela também. Mas esse afastamento deveu-se a me terem pedido para dar tempo, pois ela estava a reagir mal ao facto de eu ser uma mulher Transexual. E eu dei esse tempo. Fiz mal. Tenho tantas lágrimas que chorar ainda, que acho que nunca mais vão acabar.

É incrível como nós, mulheres Transexuais, passamos tão depressa de bestiais a bestas. E sofremos na pele a discriminação da própria família. Resta-nos seguir em frente, pois contra factos não há argumentos. Feliz, ou infelizmente, a vida continua.


sábado, abril 04, 2009

Top Model's Isis, Now Transitioned, Becomes Engaged

The Advocate, CA, USA

America’s Next Top Model’s first transgender contestant, Isis, stopped by The Tyra Banks Show on Tuesday to talk about her life after having sex-reassignment surgery. Isis told Banks, who had paid for the operation, that it’s nice to finally be comfortable in her own skin.

But Isis received yet another surprise on the show (which had surprised her during her previous appearance with the offer to pay for her surgery) -- her boyfriend dropped by with a wedding ring and proposed.

Isis was understandably uncomfortable at certain times while filming the reality modeling competition -- particularly when shoots called for her to pose in formfitting, revealing clothing.

Tyra took home a GLAAD Media Award for excellence in media Saturday night.