Lara's dreaming

A minha fotografia
Nome:
Localização: Lisboa, Portugal

Sou uma mulher transexual de Lisboa, Portugal, onde nasci e cresci. Neste espaço poderá encontrar pensamentos, reflexões e comentários inerentes à minha vida como mulher trans. Seja benvind@ ao meu cantinho.

segunda-feira, outubro 29, 2007

O Poder do Sexo

É impressionante o poder que o sexo tem hoje em dia, em todos os pormenores da nossa vida. De repente, é como se voltássemos aos anos 70 e à libertação sexual, e toda a gente quer fazer sexo com toda a gente. E quanto mais tentamos fugir de algo importante, mas não essencial na nossa vida (pelo menos é o que eu o considero), ele deparasse-nos a todo o momento.

Atenção que não sou nem uma falsa virgem, nem uma falsa puritana, nem me considero uma ressabiada (como muitas e muitos anormais por aí dizem), apenas acho que há lugar para tudo, e respeito tudo, desde que não interfira com a minha vida pessoal. E o grande problema é que começa a interferir, pois não há uma conversa na net (então aí é demasiado óbvio, não é?), uma conversa de café, uma conversa num bar, em que o olhar de "vou-te comer" e as palavras "provocadoras" não estejam estampados.

Vivemos nos "fabulosos" tempos em que a divina trindade passou de deus, cristo e o espírito santo, para sexo, dinheiro e poder. E é fácil atingir qualquer uma das pontas do triângulo, se usarmos um, ou dois dos outros.
Através do sexo consegue-se dinheiro e poder. Através do dinheiro consegue-se sexo e poder. Através do poder consegue-se dinheiro e sexo. As simple as that!

E o que é feito do romantismo? De uma relação que começa por um conhecimento interior, um namoro, e depois vem a parte física? Porque é que eu, só porque sou uma mulher Transexual, tenho que usar o meu "poder" sexual sobre os homens? Porque é que o discurso de um homem muda, quando está a falar comigo, a partir do momento em que digo que sou Transexual?

Tem que acabar esta ideia pré-concebida de que todas as mulheres Transexuais são prostitutas, ou taradas sexuais. Será que ninguém percebe que, se uma grande parte se prostitui é porque ninguém lhe dá trabalho? É porque não tem alternativas? Não é porque querem, porque adoram, porque são umas ninfomaníacas. É porque têm que sobreviver.

E eu luto, e continuarei a lutar para que nos respeitem a nós, MULHERES TRANSEXUAIS, como seres humanos, que nos dêem hipóteses de trabalho em qualquer área, como às mulheres biológicas, que tenhamos acesso aos cuidados de saúde, tal como as outras pessoas, e, acima de tudo, e volto a repetir QUE NOS RESPEITEM!

P.S.: Já que estou numa de falar de sexo, aqui fica o último e "provocante" clip de Britney Spears, de regresso após as confusões em tribunal, a separação, e os dois filhos que teve. Enjoy.

Britney Spears - "Gimme More"

sábado, outubro 27, 2007

Kylie e o flagelo do cancro da mama

Começo este post por agradecer todos os (muitos) emails que recebi e o comment da Mente Assumida a desejarem-me muitas coisas boas e que retornasse a estas páginas. Muito obrigada a tod@s sem excepção.

E, nada melhor do que dar as boas vindas ao regresso de uma Mulher que muito admiro pela sua coragem, postura, profissionalismo e carisma (além de ser geminiana como eu!), Kylie Minogue.

Quando tudo parecia contra ela - os diagnósticos médicos não eram os melhores, ela estava demasiado fraca para combater a doença, etc. - eis que Kylie dá uma reviravolta e luta com todas as suas forças contra o terrível e temível cancro da mama de que padecia.

Recuperada, agora, ela volta com um novo visual, muy Marilyn Monroe, e uma estética puramente deliciosa dos anos 50, misturada com os novos materiais do século XXI.

Como podem observar pela foto que se encontra aqui, entre outras no seu site, Kylie é agora uma nova mulher, como acredito piamente que qualquer mulher das tantas, infelizmente, que lutam contra este mal pelo mundo fora, rejuvenesçam a sua alma quando vencem.

Mas nem todas vencem, e conheço vários casos, como tod@s vocês devem conhecer, de mulheres DE TODAS AS IDADES a quem foi diagnosticado cancro da mama. E eu, apesar de não ter nascido biologicamente mulher, já passei a minha quota parte de terror quando, há uns tempos atrás, fiz a palpação do meu (pouco) peito e me deparei com dois nódulos: um grande e um pequeno. Em pânico fui ter com o meu endocrinologista na altura, que me mandou fazer todos os exames possíveis: análise ao sangue para detecção de tumores (atenção que tumores podem ser benignos ou malignos e só neste último caso serão cancro), mamografia e ecografia mamária.

Andei em pânico os dias que duraram até ter os resultados. Mas a médica que me fez a ecografia mamária avisou-me logo que, não só não lhe parecia mais nada além das fibroses criadas pelo desenvolvimento das glândulas mamárias, como no caso das mulheres Transexuais se costuma e deveria optar por próteses mamárias o mais cedo possível, de forma a decrescer a quantidade de estrogéneo ingerido, e consequentemente a possibilidade de desenvolver cancro. Eu tive MUITA sorte. Não era mesmo nada, além de glândulas inchadas e duras.

Como já o fiz anteriormente, dedico este post a TODAS as Pessoas (sim, porque os HOMENS TAMBÉM DESENVOLVEM CANCRO DA MAMA), que sofrem ou sofreram deste mal.

Quem tem dúvidas ou necessita de aconselhamento, tem o link por baixo do Laço Rosa aqui ao lado. Este link pertence à Liga Portuguesa Contra o Cancro, e vai ter directamente à secção dedicada ao cancro da mama. Como informação, deixo-vos um excerto de texto de um jornal norte-americano sobre este flagelo entre TODA a população, com o respectivo link para poderem ler tudinho:

"[USA] [News/Health] Battling breast cancer
Excerpt: The Mautner project is another resource for information about breast cancer and other health issues.
The group also encourages research about the health problems faced by transgender people.
"We don't know what the hormones' effect will be on breast tissue," she said.
Transgendered men who have undergone a mastectomy still have breast tissue, warned Knoll Larkin, health and human services coordinator for Affirmations in Ferndale. "They will still need to do breast self exams."
After three months, transgender women who take estrogen should start doing breast self-exams, he said." - Retirado DAQUI

E, para descontrair um bocadinho e terminar da melhor forma este post, deixo-vos com o novo single da "nova" Kylie - Fabuloso e Fabulosa! Absolutely Fabulous!

Beijos

Kylie Minogue - "2 Hearts"


sexta-feira, outubro 19, 2007

Wish I Could Fly

Postar está a tornar-se cada vez mais doloroso para mim. Cada linha é sofrimento, cada palavra é dor. Cada letra é lágrima que corre.

Devido a isto, não irei postar mais nada nos próximos longos tempos, se é que este blog terá continuação.

A minha vida familiar não está bem, e eu também não. Por motivos que têm a ver com a minha saúde física e mental, o Lara's dreaming fica suspenso por tempo indeterminado.

Peço desculpa às poucas mas boas pessoas que aqui vinham ler o que eu escrevia sobre mim, mas neste momento já não dá mais.

De qualquer das formas, aqui deixo o meu email (o mesmo que está no meu site), para quem necessitar de ajuda de alguma forma me contactar.
Obviamente que tlovers, tarados, ordinários e bestas que tais, escusam de se dar ao trabalho de escrever, pois o que pode acontecer é levarem um processo por difamação em cima.
Tod@s @s outras são benvind@s, além de que se podem sempre exprimir através dos comentários.

E-mail: lara.trans@gmail.com

Muito obrigada do fundo do coração.

Lara

Roxette - "Wish I Could Fly"

quinta-feira, outubro 18, 2007

Visto de Perfil na Rádio RDS - Parte II


Depois da entrevista que dei para a Rádio RDS ao jornalista Nuno Ferreira, para a rubrica "Visto de Perfil", aqui vos deixo um testemunho fotográfico da mesma.

Resta-me agradecer à RDS e ao excelente Nuno Ferreira esta (modéstia à parte) óptima entrevista, que espero tenha aberto algumas mentes e ajudado outras que se encontram confusas.


Um muito obrigada a tod@s, e um beijinho muito especial para a fotógrafa de serviço, a inigualável, a excepcional, a fabulous, Eduarda Santos.

terça-feira, outubro 16, 2007

Visto de Perfil na Rádio RDS


Visto de Perfil: transexual Lara Crespo em entrevista

No Visto de Perfil desta quarta-feira, a transexual Lara Crespo é a convidada.

O estigma com que lida todos os dias, as dificuldades legais com que se confronta e os desafios que luta para superar.

Quarta-feira, depois das 18h00, a entrevista de Nuno Ferreira.


A Rádio RDS emite nas seguintes frequências: Lisboa (87.6 FM), Porto (107.8 FM), Coimbra (94.5 FM), Alentejo, em 88.9 e 106.2 e no Algarve, em 94 FM.

sexta-feira, outubro 12, 2007

Real Girl


Mais uma vez voltei a estar uns tempos ausente deste meu espacinho de histórias e "estórias" da minha vida. A inspiração nem sempre vem, e, apesar de estar desempregada, acabo por ocupar os meus dias com várias coisas.

Esta semana foi particularmente ocupada, com consultas médicas, com o meu psiquiatra sexólogo, e com o meu cirurgião. Vou ser operada em breve, e finalmente vou ter os seios que sempre desejei. O que me coloca a questão, de que falei em posts anteriores, do que faz de nós "verdadeiras mulheres".

Confesso que apesar de sempre ter desejado ter peito, houve um período em que reneguei esse desejo, pois não via saídas viáveis. Obviamente que o facto de eu passar dentro de pouco tempo a ter mamas, não vai fazer de mim mais mulher. Vai, isso sim, fazer-me sentir melhor e mais feliz comigo própria, com a minha imagem de mim.

E serei sempre, como sempre fui, uma "verdadeira mulher", igual a qualquer outra. Colocar próteses mamárias, fazer a cirurgia de redesignação de sexo mais não são do que adequações que eu e outras mulheres Transexuais fazemos para nos sentirmos melhor de acordo com a nossa Identidade de Género. Mas não são cirurgias plásticas que fazem de nós pessoas diferentes, ou "mais mulheres".

A mim o que me interessa é a minha essência e o ser coerente com ela. E é assim que vivo, e sempre vivi. Não me vou operar porque socialmente uma mulher "tem que ter mamas" ou "ter uma vagina". Não me vou operar porque os outros querem. Vou-me operar por mim. Para, finalmente ter paz entre o que sou e o que aparento. Conectar por fim a minha mente com o meu corpo.

Porque, como sempre digo, "não é uma vagina que faz uma mulher".

Mutya - "Real Girl"